O chiclete era eu


Você estava certa mesmo, em algumas partes talvez. Uma delas era que eu era o chiclete da relação, era o meu apelido que seus amigos adoravam me chamar, eu lembro ta? Pois é, me entreguei demais para falar a verdade? Amar demais me trouxe várias conseqüências, uma delas foi o terror de não te esquecer nunca mais, e ainda chorar por uma pessoa que é feliz em mim. Obrigado idiota que está escrevendo isso. Isso e o que você define de chiclete? Amar demais? Obrigado, vaca.

 Se era amor da sua parte, já não sei, mas uma coisa tenho plena certeza, amar de mais não presta, você fica bobo, e quando você fica bobo, muitas coisas se tornam vulneráveis demais, e você acaba fazendo o tradicional papel de trouxa. Uma dica muito importante minha é nunca se entregar demais, e quando ouvir eu te amo demais é que muito deles são mentirosos (Na maioria das vezes, é por que errou demais, ou algum modo de fazer você se sentir feliz, após uma traição).

Como se fosse tão fácil assim, ‘AMAR’ Zzzz.

 Tenho que te falar que perdeu uma pessoa tão quanto maravilhosa como eu, perdeu uma pessoa para viver a vida toda do seu lado, que iria está nos maus momentos, que quando você estivesse errada ou perdida, estaria lá para te ajudar, que nada. Você não deu valor, e uma coisa conseqüentemente que vai acontecer, é que você perdeu talvez eu tenha sido o ‘’carinha da sua vida’’. 
Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger