Então ficamos assim


É noite, especificamente de madrugada. Nossa aquela hora que tudo e todos estão descansando, e você aqui. Nesse computador velho, nesse quarto escuro, só dá para ver mesmo a tecla por causa da tela que você coloca no volume Maximo de iluminação, você adora ela assim, mesmo que você sabe que vai estragar sua vista, talvez na expectativa de chegar uma mensagem dizendo que tudo era mentira, que você me ama de verdade. Essa cadeira que você comprou recentemente para ficar rodando do lado para outro, você fica engraçado nela.  Parei, vamos voltar para madrugada, vamos voltar a falar de suas manias bobas, de seus julgamentos que tem uma lista enorme nesse caderno azul, disfarçado de diário. É na madrugada que você se sente despreenchido, vulnerável a seus choros, a seus medos expostos.

 Okay, então é isso. Que nada, então vamos falar sobre esse sentimento platônico, esse sofrimento antecipado, (sim eu sofro antecipadamente). Sofro por amor platônico também, isso é um saco definitivamente. Odeio ser assim, mais é meu jeito, falei que iria fugir dos meus fantasmas, dos meus medos. Mais eles vêem e vão. Aliás, acho que eles voltaram ultimamente. Prefiro nem falar de sonhos, parecem que estagnaram, parece que tudo parou esses últimos dias, principalmente eu. Fiquei sem internet, e muita coisa mudou, eu mudei. Estou aprendendo a conviver sem as pessoas que eu amo, aprendi também a dar valor a outras, e até desfazer outras acredita?

Ultimamente também, ando desapegando de tudo...

Tudo que me faz mal, tudo que não se encaixe nesse meu mundo, desapegando das pessoas, dos meus antigos fantasmas, dos antigos gostos, do antigo amor. Desapegando sabe de que? Das coisas que me fazem mal. Ufa. Só não quero desapegar dos meus antigos sonhos, Deus me livre. Ainda eu sonho, em abrir o papel embrulhado e quando tiver tudo certo abrir e ver que escrito, seu grande sonho, quero que cada vez ele fique mais perto, aquele que você quase nunca conta a ninguém, caso te perguntem. Pois é, sonhos musicas amor platônico, julgamentos, tudo se resulta nessa madruga enfática, que é na hora que tudo de transforma em realidade, quem sabe...
Comentários do Facebook
4 Comentários do Blogger