E a saudade, como anda?


Muita, muita mesma, respondendo a resposta.

Saudades de tantas coisas. Saudades dos pequenos prazeres, de antes, sei lá. Saudades de ver um casal passeando pela rua, sorrindo com balões de coração de cor vermelha, isso é vontade. Saudades daquelas antigas risadas do fundão da sala de aula, por o professor estar brigando com todos sem saber quem realmente estava zuando, saudades dela. Saudades de quando a felicidade reinava. Saudade de quando as decisões eram bem menores. Morro de saudades daquele nosso primeiro abraço, de nosso primeiro beijo. Saudades daquelas multidões de borboletas no meu estômago do nosso primeiro beijo. Saudade da fulana lá que eu amava, amo sei lá.

Lá vêm mais saudades dela ZzZzZz...

Vamos lá

Eu te vi esses dias, lembrei de tantas coisas. De nossos beijos, de tantas e tantas coisas. Senti saudades, mais uma coisa meio que distante sabe?

Algo me diz que é de tanto ter quebrado a cara.

Saudades daquelas conversas trocadas do MSN, daqueles depoimentos clichês do Orkut, daquelas vezes que entrava várias vezes no MSN só para você me notar. Saudades é um sentimento tão louco, sentimento onde eu tenho que escrever mil textos de uma coisa especifica, para entender que aquilo faz parte do passado, não vai voltar mais. E o que foi bom durou, o tempo que deveria ter durado.

Sem mais.

Saudades de comprar chocolates de amendoim, que era o seu preferido. De poder sair de mão dadas, de conversar e dá risada de várias coisas, (ainda sou apaixonado pelo seu sorriso) marcante, saudades de poder ter alguém do lado e entender tudo e achar que a pessoa é a única pessoa do mundo, - coisa típica de adolescente-. Saudade não poder está ai, ao seu lado. Saudades, o único sentimento que pode existir entre nós, pois bem. Não era para ser mesmo, dói, corrói, enlouquece mais com o tempo esses sentimentos sem fim, passam.


E para terminar, é melhor dá valor por que a saudade não traz ninguém, infelizmente.
Comentários do Facebook
6 Comentários do Blogger