Entre nós

Olhei para o céu dessa janela do ônibus vi o céu escuro, e estava bem frio, meu casaco não estava tão quentinho igual das outras vezes, ou talvez estivesse mais frio, do que das outras vezes. Nesse frio, eu queria três coisas aqui perto de mim, meu edredom, você e uma caneca bem grande cheia de chocolate quente, para nos dois.

Talvez eu esteja pirando em pensar nisso, nos quarenta e cinco segundos. Mais olhando para a janela desse ônibus estou me lembrando dos lugares em que passamos de mãos dadas, e coisas que vivemos. Não que seja importante mais para mim, sabe? Às vezes, eu penso em você como se não houvesse ninguém nesse planeta, tenho que acreditar que aquele tempo não possa voltar mais, aquele amor banal de dois adolescentes bestas, querendo ser gente adulta, apesar de idade, existia amor, pelo menos dá minha parte.


Queria deixar uma mensagem no seu celular, igual da primeira vez antes de tudo começa, antes mesmo em existir amor. Amor que eu sinto falta, que isso me faça uma pessoa meio que incompleta sabe? Igual a metade da laranja, pois bem a minha sumiu, talvez alguém tenha jogado fora. Odeio quem vem me falar, que vão existir outras. E daí? Nesse exato momento eu queria você aqui perto de mim, talvez. Depois não. Possa ser que daqui a alguns anos, eu veja isso daqui e comece a rir feito um bobo, acho que daqui a alguns anos mesmo, prefiro viver os momentos, o agora.
Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger